ArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanishSwedish

Jaques vê merecimento em vitória do Remo e fala de Eduardo Ramos na reserva: “Ele entendeu”

Treinador afirma que o Leão Azul teve crescimento diante do Carajás comparado à estreia contra o Tapajós. Ele enfatiza, porém, que a equipe ainda tem o que melhorar no Campeonato Paraense

O técnico Rafael Jaques viu merecimento do Remo na vitória por 1 a 0 diante do Carajás, neste domingo, no Mangueirão, em Belém, pela segunda rodada do Campeonato Paraense 2020. De acordo com ele, o time apresentou melhoras com relação à estreia na competição, contra o Tapajós, enfatizando a situação do gramado, bastante encharcado no primeiro tempo em razão da chuva.

– Hoje nós conseguimos ter um maior controle do jogo do início ao fim. Corremos menos riscos no setor defensivo. Ao mesmo tempo, criamos mais situações de gol. Dentro do trabalho que a rapaziada realizou na semana foi produtivo. Entraram com uma postura diferente com relação ao jogo passado, mesmo com a situação do campo, que no primeiro tempo prejudicou tanto o Remo quanto o Carajás. No segundo deu pra jogar mais, fomos merecedores da vitória.

“No primeiro tempo tivemos nove escanteios. Isso demonstrou a nossa insistência ofensiva durante o jogo, várias finalizações. Devemos melhorar, tem muita coisa pra corrigir”, completou Rafael Jaques.

Apesar de ter 100% de aproveitamento no Parazão, o Remo foi novamente vaiado pela torcida na saída para o intervalo. O time ainda não conseguiu demonstrar uma maior qualidade técnica e tática, principalmente, nos setores de meio-campo e ataque, pouco eficiente nas duas rodadas iniciais.

– Isso foi trabalhado durante a semana. Tocamos nesse assunto na palestra antes do jogo, foi uma cobrança no intervalo. Temos sim que chutar mais de fora da área, ser mais decisivos no último terço, finalizar com qualidade. Isso não é falta de trabalho. Os jogadores estão se dedicando. É uma fase inicial, de pré-temporada. Estamos no caminho certo.

Uma possível demora em realizar mudanças na equipe geraram algumas críticas a Jaques nos dois primeiros jogos do Leão Azul no estadual. O comandante alertou que vários jogadores apresentavam problemas físicos durante o embate contra o Pica-pau de Outeiro e que optou por aguardar mais antes de qualquer alteração na formação.

– Aproximadamente aos 16 minutos do segundo tempo teve uma parada de jogo onde o Lukinha e o Jackson usaram spray na panturrilha, câimbra. O Robinho não jogava há muito tempo, o campo estava pesado. O Ermel fez gelo na coxa, o Djalma também não jogava há bastante tempo. Chamei os auxiliares, o preparador físico pra saber as condições deles. De quatro a cinco jogadores poderiam pedir troca. Eu tinha o desejo de colocar sangue novo mais cedo, dar gás, mas tive que segurar. Se tiro um ou outro, fico sem troca, com um a menos em campo.

Uma situação que gerou surpresa em muita gente foi a saída de Eduardo Ramos do time titular. Ele foi sacado para e entrada de Robinho. Eduardo, inclusive, não entrou no embate e viu Douglas Packer, mais um concorrente da posição, fazer a reestreia no retorno ao clube. Rafael Jaques disse que conversou com ER e minimizou a presença do meia no banco de reservas.

– Conversei com o Eduardo Ramos duas vezes nessa semana. Fizemos treinos com duas equipes, uma com o Eduardo e a outra com o Robinho. Optamos pela troca. Só tenho elogios a fazer pra ele. Fez uma pré-temporada maravilhosa, não faltou treino, trabalhou igual aos demais. A gente sabe da história do Eduardo no Remo e no futebol brasileiro. É importante, tem qualidade, admiro como pessoa e profissional. Ele entendeu. Pensei em colocar no final do jogo mais à frente, no lugar do Jackson, mas o Lukinha pediu pra sair. Queria dar ritmo ao Packer. Tivemos que fazer essa gestão nas trocas.

Fonte: Globoesporte.com.