ArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanishSwedish

Goleiro que foi mascotinho de Wilson estreia no Coxa em jogo que pode marcar queda

Goleiro Arthur vai estrear pelo Coritiba contra o Santos

Arthur, goleiro do Coritiba – Foto: Coritiba/Instagram


Aos 24 anos de idade, o goleiro Arthur vai estrear pelo Coritiba na partida que pode selar o rebaixamento do clube para a Série B.

Sem o titular Wilson, suspenso em uma polêmica que foi parar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), arqueiro prata da casa vai receber a primeira oportunidade neste sábado (13), às 19h, contra o Santos na Vila Belmiro, segundo apurou o UmDois Esportes.

Apesar de mais experiente, Alex Muralha já foi comunicado que está fora dos planos do Coxa para a próxima temporada. Desta forma, o pensamento do clube é de que não há lógica colocá-lo em campo em detrimento de um atleta da casa.

Os planos para Arthur, aliás, envolvem dar rodagem durante o Paranaense, que começa no dia 28 de fevereiro. O primeiro duelo é no Couto Pereira, contra o Cascavel CR.

Mascotinho de Wilson
Com 1,90 m de altura, Arthur Henrique Bittencourt é catarinense de Braço do Norte, cidade próxima a Tubarão. Mas foi na capital Florianópolis que o goleiro criou uma relação com quem seria seu ídolo e, uma década depois, companheiro de trabalho.

“Em 2008, quando eu fui aprovado na base do Figueirense, o Wilson era o goleiro do time principal e eu entrava em campo com ele, antes do início dos jogos, como os Mascotinhos aqui no Coxa. Desde aquela época ele era meu espelho”, contou Arthur ao site oficial coxa-branca em setembro de 2017, quando ainda estava no time sub-20.

Na temporada seguinte, em 2018, Arthur passou integrar o time profissional e a treinar diariamente com quem o inspirou na profissão.

Destaque no sub-20 e rodagem fora
Arthur chegou ao Coritiba em abril de 2016 – e logo se firmou como na base. Em 2017, foi titular na campanha do vice-campeonato do Brasileirão sub-20. O técnico era Sandro Forner, hoje treinador do sub-20 da Ponte Preta.

“Arthur é um goleiro arrojado, tinha um bom jogo com os pés e deve ter evoluído nesse tempo todo. Ele tem bastante personalidade, sai bem do gol e sempre respondeu quando foi exigido conosco”, garante Forner.

Em 2019, no segundo ano como profissional, o arqueiro foi emprestado para ganhar experiência. Primeiro, disputou o estadual pelo Tupy, do Espírito Santo. Na sequência, foi cedido ao Foz do Iguaçu para a disputa da Série D.

Retornou ao Coxa em outubro, a tempo de ficar no banco em partidas da Série B, incluindo o jogo do acesso, contra o Vitória, em Salvador.

No ano passado, novo empréstimo. O destino foi o Castanhal, do Pará, onde foi titular até o início da pandemia de Covid-19.

Quando as competições reiniciaram, no fim de julho, Arthur já estava de volta ao Alto da Glória. Ficou no banco de reservas do time principal em 17 jogos, além de disputar cinco partidas no Brasileirão de Aspirantes.

Fonte: Um Dois Esportes.